Subscribe:

22 de março de 2017

O seminário de Princeton inverte o curso, não concederá Tim Keller

Tim Keller Princeton
22 de março de 2017


Instituto de Religião e Democracia Press Release 
22 de março de 2017 
Contato: Jeff Walton Escritório: 202-682-4131, Celular: 202-413-5639, E-mail:  jwalton@TheIRD.org
"O protestantismo liberal falido e morrendo auto-derrota é priorizado sobre a ortodoxia vibrante e socialmente eficaz."-Mark Tooley, Presidente do IRD
Washington, DC - O pastor e escritor polonês de Nova York, Tim Keller, não receberá prêmio do Princeton Theological Seminary depois de um protesto na instituição afiliada à Igreja Presbiteriana (EUA).
A denominação de Keller, a igreja presbiteriana ortodoxa e teologicamente ortodoxa na América, não ordena mulheres ou pessoas sexualmente ativas fora do casamento entre homens e mulheres.
Keller estava programado para receber o Prêmio Abraham Kuyper de Excelência em Teologia Reformada e Vida Pública, que homenageia os contribuintes para a "visão neo-calvinista de envolvimento religioso". Keller ainda está programado para entregar a conferência anual Kuyper em 6 de abril, como planejado, mas De acordo com o presidente do seminário, Craig Barnes, a escola não concederá o prêmio Kuyper a ninguém neste ano.
Keller, um autor prolífico e orador popular, é fundador da Igreja Presbiteriana Redentor em Manhattan, que por sua vez plantou muitas outras novas igrejas em Nova York. A rede da igreja é notável por seu sucesso na atração de jovens profissionais urbanos e pela sua diversidade racial.
Freqüentemente aparecendo na mídia secular como um comentarista religioso e cultural, Keller é um dos mais influentes pastores e pensadores cristãos na América hoje. Ele é um guru do renascimento do cristianismo protestante evangélico urbano. Sua teologia como a sua denominação é ortodoxa e reformada, mas Keller normalmente evita questões de guerra cultura e debates de botão quente.
O presidente da IRD, Mark Tooley, comentou:
"Uau, historicamente Presbiteriana Princeton não honrará indiscutivelmente o mais proeminente e realizado pastor presbiteriano de nosso tempo.
"A decisão de não dar essa honra a Keller é um exemplo de correção política hiper prevalecendo sobre a distinção eo mérito.
"O protestantismo liberal falido e morrendo auto-derrota é priorizado sobre a ortodoxia vibrante e socialmente eficaz".
"Os objetores de Keller falando em Princeton também, se coerentes, têm que se opor ao Papa e aos clérigos de quase todos os principais corpos cristãos.
"Quase todo o cristianismo global discorda com o PCUSA eo Seminário de Princeton nestas edições e alinha-se com Keller, que não é exótico ou incomun em suas posições.
"A perspectiva liberal do PCUSA é confinada em grande parte a um punhado de denominações em declínio, incluindo coletivamente não mais de dois ou três por cento do cristianismo global. Grande parte do cristianismo protestante global, incluindo o metodismo e partes do anglicanismo, além do pentecostalismo, ordena as mulheres. Mas quase nenhum dissente do ensino ortodoxo no casamento e na ética sexual. "

Fonte.  https://juicyecumenism.com/2017/03/22/tim-keller-princeton/

Pastor que estava no Titanic morreu pregando durante naufrágio John Harper entregou seu próprio colete salva-vidas para outro passageiro e continuou pregando o Evangelho até o fim, conforme relatos dos sobreviventes



Homens de Deus estão em todos os lugares. Um desses homens foi o pastor John Harper, que morreu entre as vítimas do naufrágio do Titanic, em abril de 1912, que afundou depois de atingir um iceberg no Oceano Atlântico.
Harper nasceu em um lar cristão na Escócia, em 1872, e começou a pregar o Evangelho aos 18 anos. Em 1897, se tornou pastor da Igreja Batista Road Paisley, na cidade de Glasgow, e viu a igreja crescer de 25 membros para mais de 500 fiéis.
Na época do desastre do Titanic, Harper tinha 39 anos, era viúvo e estava com a filha de seis anos, Annie Jessie, e sua irmã, Jessie W. Leitch. Juntos, eles estavam viajando rumo a Chicago, em Illinois, nos Estados Unidos, para pregar por várias semanas na Igreja Moody.
Sua filha e sua irmã foram colocadas em um bote salva-vidas e sobreviveram, mas Harper ficou para trás com o objetivo de cumprir sua última missão: perder sua vida para salvar outras.
Em certo momento, o pastor decidiu entregar seu próprio colete salva-vidas para outro passageiro e continuou pregando o Evangelho de Cristo até o fim, conforme relataram os sobreviventes.
No livro “The Titanic's Last Hero” (“O Último Herói do Titanic”), publicado em 2012 por Moody Adams, foi registrado o testemunho do último homem evangelizado pelo pastor.
"Nos cinquenta minutos finais, George Henry Cavell, que estava apoiado numa prancha, se aproximou de John Harper. Harper, que estava se debatendo na água, gritou: ‘Você é salvo?’ Ele respondeu: ‘Não’. Harper gritou as palavras da Bíblia: ‘Creia no Senhor Jesus Cristo e será salvo’. Antes de responder, o homem foi puxado para dentro do mar.
Minutos mais tarde, a corrente trouxe George de volta e eles ficaram à vista um do outro. Mais uma vez, Harper gritou: "Você é salvo?" Novamente, ele respondeu: "Não". Harper repetiu as palavras de Atos 16:31: "Creia no Senhor Jesus Cristo e você será salvo".
Cansado e sem forças, Harper escorregou no mar e morreu afogado. O homem que ele evangelizou depositou sua fé em Jesus Cristo e, mais tarde, foi resgatado pelos botes salva-vidas. Na província de Ontário, no Canadá, George Henry testemunhou que foi o último convertido de John Harper.
O pastor Harper selou em sua morte o que ele tinha vivido ao longo de sua vida: a paixão pelo Evangelho e a preocupação com almas perdidas. Segundo seu irmão, o pastor George Harper, John levou multidões ao Senhor durante sua vida e mostrou a força do Evangelho para o mundo.
Fonte: Guia-me / com informações de Evangelical Focus | 21/03/2017 -

21 de março de 2017

Moro determina coercitiva e apreende laptop de blogueiro para descobrir fontes






Como o Judiciário não pode obrigar jornalistas a revelar suas fontes, o juiz Sergio Moro, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou a condução coercitiva do blogueiro Eduardo Guimarães para que ele diga, em depoimento à Polícia Federal, quem passa informações ao seu blog.

Para garantir, Moro também determinou “a apreensão de quaisquer documentos, mídias, HDs, laptops, pen drives, arquivos eletrônicos de qualquer espécie, arquivos eletrônicos pertencentes aos sistemas e endereços eletrônicos utilizados pelos investigados [sic], agendas manuscritas ou eletrônicas, aparelhos celulares, bem como outras provas encontradas  relacionadas aos crimes de violação de sigilo funcional e obstrução à investigação policial”.
O magistrado quer saber quem contou para Guimarães que o Instituto Lula seria alvo de busca e apreensão e que o ex-presidente Lula seria alvo de condução coercitiva. Na época, o Ministério Público Federal disse que investigaria o “vazamento da informação”.
Nos despachos desta terça-feira (21/3), Moro afirma que Guimarães deve prestar esclarecimentos num inquérito que investiga “violação de sigilo funcional”. Este crime só pode ser cometido por quem exerce função com obrigação de sigilo, caso de policiais federais, procuradores da República e juízes, mas não de jornalistas ou editores de blogs.
Eduardo Guimarães é o responsável pelo Blog da Cidadania, publicação conhecida por críticas à operação “lava jato” e defesa dos partidos de esquerda. Crítica recorrente de Guimarães diz respeito ao que vê ser abuso de autoridade do juiz e à espetacularização das investigações pelo Ministério Público Federal no Paraná.
Ameaça
A cobertura que o Blog da Cidadania faz da “lava jato” não agrada Moro. Em fevereiro deste ano, o juiz fez uma representação contra Guimarães na Polícia Federal pelo crime de ameaça. No Twitter, o blogueiro disse que os “delírios de um psicopata investido de um poder discricionário como Sergio Moro vão custar seu cargo, sua vida”.
Guimarães também é autor de uma representação contra Moro, na Corregedoria Nacional de Justiça. “Isso torna o magistrado suspeito de julgar qualquer coisa e praticar qualquer ato contra o meu cliente”, afirma o advogado de Eduardo Guimarães, Fernando Hideo Lacerda.
“Foi claramente para que o Eduardo revelasse as fontes dele”, resume Lacerda. “É um completo absurdo. Apreenderam celular e computador do Eduardo, instrumentos de trabalho. Foram à casa dele às 6h e o prenderam, sem qualquer intimação prévia, não me esperaram para começar a audiência e ele foi ouvido lá como testemunha. Busca e apreensão de documentos de testemunha?!”
Hideo relata que, na audiência, Moro explicou que Guimarães não tem direito ao sigilo da fonte por não ser jornalista, ser blogueiro. Embora, na ADPF 130, o Supremo Tribunal Federal tenha definido que o sigilo da fonte é “garantia que se destina a viabilizar, em favor da coletividade, a ampla pesquisa de fatos ou eventos cuja revelação impõe-se como consequência ditada por razões de estrito interesse público”, conforme explicou o ministro Celso de Mello na Reclamação 21.504.

http://www.lavajatonews.com/2017/03/moro-determina-coercitiva-e-apreende.html

PAUL WASHER SOFRE ATAQUE CARDÍACO

Fato ocorreu ontem à noite e foi noticiado pela Sociedade Missionária HeartCry, liderada por Washer e em sua conta no twitter.

O missionário americano Paul Washer sofreu um ataque cardíaco ontem à noite. A notícia está na página dele no twitter (https://twitter.com/paulwasher ) e na página da Sociedade Missionária HeartCry no Facebook.
A página do HeartCry Facebook diz que, “Ontem à noite, Paul sofreu um ataque cardíaco. Ele está em estado crítico, mas estável neste momento. Mais atualizações para seguir aqui e em sua conta no Twitter”.
Em seguida o responsável pela postagem pede: “Por favor, orem por ele e para sua família!” A HeartCry é uma sociedade missionária com uma grande e imperiosa paixão: a de que o nome de Deus é grande entre as nações (Malaquias 1:11).
A direção da VINACC | Consciência Cristã noticiou o fato em seu portal, e pediu oração pela recuperação de Paul Washer e pelo confortar do Senhor aos amigos e familiares do mesmo.
No mês de janeiro durante a realização da 19ª Consciência Cristã, Washer foi confirmado como preletor da edição especial de 20 anos da instituição.
Hoje pela manhã recebemos notícias de que o estado de saúde dele é estável.
Oremos por Paul Washer, para que Deus lhe dê uma boa recuperação.

Advogado que bateu boca com Moro renuncia à defesa de LulaJuarez Cirino dos Santos, criminalista que travou tenso embate com juiz da Lava Jato, comunicou saída dos processos em que petista é réu


Lula. Foto: Fernando Bezerra/EFE

O advogado criminalista Juarez Cirino dos Santos informou na sexta-feira, 17, ao juiz Sérgio Moro que renunciou à defesa do ex-presidente Lula nas ações a que o petista responde na Lava Jato. Reconhecido no meio acadêmico e jurídico, nas audiências da Lava Jato, Cirino protagonizou um dos embates mais tensos entre defensores de Lula e Moro, em 12 de dezembro de 2016, quando o juiz da Lava Jato ordenou a Cirino: ‘o sr. respeite o juízo!’
A RENÚNCIA:
renuncia
No documento assinado por ele e outros dois advogados de seu escritório, que também deixam a defesa do ex-presidente, Cirino não revela o motivo de sua saída. Ele e seus colegas de banca não poupam elogios ao ex-presidente a quem chamam de ‘ilustre e digno constituinte, por quem os signatários manifestam a maior admiração por sua atuação como sindicalista, criador e dirigente do Partido dos Trabalhadores e Presidente da República”, diz o documento encaminhado à Justiça Federal no Paraná.
Com reconhecida trajetória acadêmica, Cirino é pós-doutor em Política Criminal e Filosofia do Direito Penal pela Universidade de Saarland, na Alemanha, e atualmente é professor de Direito Penal da Universidade Federal do Paraná desde 2002.
Nas audiências da Lava Jato, Cirino fazia parte da equipe de defensores de Lula, que inclui ainda os advogados Cristiano Zanin Martins e José Roberto Batochio, de escritórios diferentes, e fazia várias interrupções durante os depoimentos das testemunhas de acusação contra o petista.
Foi em uma dessas ocasiões que Cirino protagonizou um dos mais duros embates com o juiz da Lava Jato, registrado em vídeo. No dia 12 de dezembro de 2016, durante o depoimento de Mariuza Aparecida Marques, funcionária da empreiteira OAS encarregada pela supervisão do triplex do Guarujá, Cirino havia chamado Moro de “acusador principal”.
Moro mandou que o advogado o respeitasse. O bate boca ocorreu aos 13 minutos, aproximadamente, da audiência. Confira abaixo:


O procurador da República presente à audiência insistiu na pergunta a Mariuza sobre uma visita da mulher do ex-presidente, Marisa – morta em fevereiro deste ano – ao imóvel do Condomínio Solaris, no litoral paulista. “Essa visita, a dona Maria Letícia estava sendo tratada pelo grupo OAS como uma possível compradora do imóvel ou a quem o imóvel já tinha sido destinado?”
Uma advogada interrompeu. Em seguida, o procurador repetiu a indagação à testemunha.
Então, o advogado entrou em cena. “Fica o protesto aqui de novo, excelência.”
“Dr. o senhor está sendo inconveniente”, disse Moro.
“A defesa não é inconveniente enquanto estamos no exercício da ampla defesa”, insistiu o advogado.
“Já foi indeferida a sua questão”, advertiu o juiz.
“Vossa Excelência não pode cassar a palavra da defesa, estamos colocando uma questão muito importante, relevante. O ilustre procurador da República está pedindo a opinião da testemunha.”
Moro disse que ‘pode cassar’ a palavra da defesa ‘quando inconveniente’ e reiterou que estava ‘indeferida’ a questão. Ele ordenou. “Já está registrado e o sr. respeite o juízo!”
“Eu não respeito o juízo enquanto Vossa Excelência não me respeite como defensor do acusado”, devolveu o advogado. “Se Vossa Excelência atua aqui como acusador principal perde todo o respeito.”
“A sua questão já foi indeferida, o sr. não tem a palavra”, decretou o juiz.
Moro pediu à testemunha que respondesse à indagação do procurador.
“É…(Marisa Letícia) tratada como se o imóvel já tivesse sido destinado (à mulher de Lula).”
A reportagem tentou insistentemente contato com o escritório de Juarez Cirino, mas ele não estava lá. A reportagem deixou os contatos e o espaço está aberto para a manifestação do advogado.
  Política Estadão

20 de março de 2017

Homem morre após cair do 19º andar do Congresso Nacional


Ele caiu no espelho d'água do complexo e morreu na hora - Divulgação


Um homem morreu depois de cair do 19º andar do Congresso Nacional, no início da tarde desta sexta-feira (17/3), por volta das 12h30. Ele caiu no espelho d'água do complexo e morreu na hora. 

Segundo a assessoria de imprensa da Câmara dos Deputados, a vítima não tinha ligação com a Casa e entrou no prédio como visitante. A Polícia Legislativa vai abrir um inquérito para apurar as circunstâncias da queda.
 A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) fez a perícia no local para ter mais informações sobre o caso. Testemunhas relataram que ele vestia terno e gravata.

No 19º andar do Anexo 1 da Câmara funciona a Coordenação de Arquitetura e Engenharia. 


19 de março de 2017

Assembleia de Deus apoia criação de partido pró-família tradicional Partido cristão deve atrair 20 deputados



Apesar de constitucionalmente igrejas não poderem fundar partidos, a Assembleia de Deus está fomentando a criação do 36º partido brasileiro, o PRC (Partido Republicano Cristão).
Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o partido vem sendo articulado pelo deputado Ronaldo Fonseca (PROS), que coordena a bancada de 24 deputados ligados à Assembleia de Deus.
Fonseca explica que o partido já teve 300 mil das 486 mil assinaturas exigidas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para criação de um novo partido, em ao menos nove Estados.
O número deve ser alcançado facilmente com o apoio da Assembleia de Deus, a maior igreja evangélica brasileira, que agrega 30% dos 42 milhões de fiéis, de acordo com o Censo 2010.
A criação do partido vem sendo fomentada com o apoio da Assembleia de Deus Ministério de Belém, que tem sede em São Paulo. A ala da igreja controla a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil.

O deputado Ronaldo Fonseca espera que o PRC saia com uma bancada de pelo menos 20 deputados, que poderão trocar de sigla em 2018 durante a janela da Justiça, que autoriza mudanças partidárias sem sanções eleitorais.O coordenador político da convenção das Assembleias, Lélis Marinhos, diz que a principal bandeira do PRC será a família. "Aquela chamada tradicional, com o princípio básico bíblico da família hétero".

Com informação Folha de são Paulo
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/03/1867553-assembleia-de-deus-articula-criacao-de-partido-pro-familia-tradicional.shtml

Igreja na Vila Olímpia atrai público com música alta e mensagem inclusiva

A contagem regressiva explode em uma música dançante. O público, a maioria jovem, canta, levanta as mãos, e o culto na igreja evangélica se confunde com um show de indie-eletrônico.

Filial de igreja australiana na Vila Olímpia

Banda da igreja Hillsong de São Paulo se apresenta na Vila Olímpia Por: Bruno Santos/ Folhapress 12/03/2017
[2 de 7]
Quando o pastor australiano Chris Mendez, responsável pela igreja Hillsong em São Paulo e Buenos Aires, sobe ao palco e avisa, em um português um pouco arrastado, que aquela é a "melhor igreja de Vila Olímpia", os aplausos irrompem.
Mendez passa então a falar em inglês sobre como as igrejas cristãs excluíram as pessoas. O discurso é traduzido simultaneamente para o português por um pastor brasileiro que acompanha seus movimentos no palco.
"Jesus andava com prostitutas e outras pessoas que a religião não aceitava. Ele é inclusivo", afirma Mendez durante entrevista.
"Você vai poder ver aqui um homem de negócios bem sucedido ao lado de alguém muito pobre. Não dividimos as pessoas em categorias, nossas portas estão abertas para todos", afirma. A Hillsong, por exemplo, não discrimina homossexuais.
A organização nasceu, na década de 1980, como Hills Christian Life Center (Centro de convivência cristã de Hills, em tradução livre) em Baulkham Hills, um subúrbio de Sidney, na Austrália.
O nome "Hillsong" veio em 2001, ao mesmo tempo em que as músicas da banda homônima da igreja alcançavam sucesso mundial.
A Hillsong já apareceu pelo menos duas vezes na lista da revista norte-americana Billboard dos 10 álbuns de música mais populares.
Hoje, ela está em 20 cidades de 17 países, incluindo Rússia, Israel e África do Sul. A unidade que agora fica na Vila Olímpia foi inaugurada em 30 de outubro de 2016.
Após passar dois meses no Audio Club, uma casa de shows na Barra Funda, a igreja se instalou na rua Funchal, em um espaço de eventos, o Villaggio JK.
"É um bairro com poucas igrejas, então é um excelente lugar para estarmos", diz Mendez. "Em uma cidade tão grande como São Paulo existem muitas pessoas que não têm fé. Quando temos mais pessoas fora de igrejas do que dentro delas, ainda precisamos abrir novas igrejas."
A fama internacional ajuda a lotar o espaço nas reuniões dominicais. Passam por ali entre 1.700 e 2.500 pessoas todas as semanas.
A administradora de empresas Beatriz Kallaur, 24, é uma delas. Segundo ela, que mora perto da rua Funchal, a Hillsong é como sua casa.
"Aqui vi muita gente diferente de mim, mas isso não me incomoda. Sinto que pertenço a essa comunidade."
Grande parte dos frequentadores tem a idade de Kallaur, mas Mendez disse que não existe um público-alvo.
"Nós apenas queremos fazer uma igreja de um jeito empolgante, e acredito que nosso estilo tem um apelo maior entre jovens", afirma o pastor. "Eu percebo que eles estão enjoados de religião do jeito tradicional, cheio de regras", acrescenta.
Apesar da música alta e das luzes estroboscópicas, um grupo de voluntários diz que o número de cadeiras reservadas para idosos e pessoas com deficiência aumenta a cada semana.
Mas muitas pessoas que vão, diz Mendez, ainda são visitantes curiosos que querem ver como é a Hillsong.
Outros já esperavam ansiosos a filial brasileira. É o caso do engenheiro Newton Tanaka, 42, que frequentou a unidade de Londres durante os nove anos em que morou na Inglaterra.
"Quando vi o anúncio na internet de que a Hillsong viria para o Brasil, fiquei muito feliz", disse Tanaka, que mora e trabalha no bairro.
"Avisei na mesma hora o pastor da minha antiga igreja, em outro bairro, que viria para cá", conta.
Questionado se planeja expandir a igreja pelo Brasil, Mendez responde: "Eu nunca vou dizer nunca", diz, em referência a um dos sucessos do cantor Justin Bieber, que frequenta a Hillsong nos Estados Unidos.

 Folha Uol.. http://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/morar/2017/03/1867557-igreja-na-vila-olimpia-atrai-publico-com-musica-alta-e-mensagem-inclusiva.shtml?cmpid=facefolha

Srs. juízes, condenem e prendam Lula já! Clama editor da IstoÉ





O signatário desse artigo é intransigente defensor do Estado de Direito.

O signatário desse artigo só concorda com a condenação de uma pessoa se ela se der dentro dos limites que o Estado de Direito, por definição, tem de impor a si – e que se traduz no princípio do “devido processo legal”.

O signatário desse artigo detesta hipocrisia – e por isso acha que Lula ir para a cadeia é providência para ontem.

Os juízes que têm em mãos processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva devem se precaver quanto a demora em julgá-los, em condenar e em prender o réu. Assim como os magistrados sabem, nos mínimos detalhes, os motivos para prendê-lo, Lula também sabe muito bem o porquê estaria sendo preso. Lula é esperto, sabe sim. Na verdade, todo o Brasil sabe, então fica difícil entender essa lentidão no andamento das ações penais. Respeitar o Estado de Direito não significa passos de tartaruga para se chegar à sentença. Mais: em se tratando de Lula, a sua condenação, nos contornos do “devido processo legal” sem o qual expõe-se “as garantias fundamentais” dos cidadãos à exceção e ao arbítrio, é justamente a proteção maior que se pode dar ao próprio Estado de Direito. Lula preso é profilaxia.

Existe o ditado de que a “Justiça falha mas não tarda”, porém, aqui, a Justiça muitas vezes tarda, e tarda tanto, que inviabiliza a persecução penal. É dever de todo brasileiro evitar que alguém “sequestre” em interesse próprio, para obstaculizar a Justiça, os princípios democráticos. É o que Lula está fazendo ao se lançar desde já candidato à Presidência do Brasil. Diante de evidências de seu profundo envolvimento no maior esquema de corrupção da história do País, o que torna impossível a construção de uma defesa juridicamente consistente, Lula fará dessa candidatura um escudo. Demorem, senhores magistrados, em prender Lula, que amanhã, quando forem fazê-lo, o Brasil será vítima do seguinte discurso extorsionário: “condenaram e prenderam Lula somente porque ele é candidato”; “condenaram e mandaram prender Lula, agora, com medo de que ele ganhe a eleição”. Nossas almas democráticas ainda não cicatrizaram da ladainha demagógica de que o impeachment era “golpe”, e será que teremos de ouvir que Lula foi condenado e preso “porque ganharia a eleição”? Francamente, excelências, Deus é Pai, Maria é Mãe, o Brasil é grandioso, e paciência tem limite. A mais urgente proteção, hoje, ao Estado de Direito, é justamente prevenir a manipulação do próprio Estado de Direito. Já tentaram dar a Lula um Ministério para que ele fugisse da jurisdição de um juiz, no caso Sergio Moro; agora Lula tenta dar a si o Palácio do Planalto para fugir de todos os juízes. Lula quer homiziar-se no Planalto! É inacreditável!

Os advogados do ex-presidente cumprem eticamente a sua função. Assim, tentam ganhar tempo e arrolam testemunhas inimagináveis, a exemplo do primeiro-ministro da Suécia, Kjell Stefan Löven, e do presidente da França, François Hollande. Vale tudo para empurrar a condenação, e por isso a prisão imediata não seria arbítrio, seria antídoto para a chantagem populista.

Tentaram dar a Lula um Ministério para que ele fugisse da jurisdição de um juiz; agora Lula tenta dar a si o Palácio do Planalto para fugir de todos os juízes. Lula quer homiziar-se no Planalto! Inacreditável!

Os advogados já colocaram, por exemplo, a casca de banana no chão do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, arrolado por eles. Indagaram: “(…) o governo do presidente Lula foi um governo que trouxe benefícios ao País (…)?” O juiz Sergio Moro, atuando acertadamente de acordo com o Código de Processo Penal, desarmou a armadilha: “ele responde sobre fato apenas. A impressão é que a defesa está fazendo propaganda política (…)”. Na semana passada, Lula começou a falar em “movimento queremista”, mentindo que é candidato porque a população assim o quer. O “queremismo” deu-se em 1945 e defendia a permanência de Getúlio Vargas no governo. Foi mentira no passado e é mentira no presente. Dentro do próprio PT, fala-se abertamente que Lula usa a estratégia da candidatura como defesa. Portanto, senhores magistrados, protejam o Estado de Direito e a democracia, que são dos senhores também. Condenem e prendam Lula. É para ontem.

IstoÉ
http://istoe.com.br/srs-juizes-condenem-e-prendam-lula-ja/

Lula e Dilma Rousseff participam da reinauguração da Transposição do Rio São Francisco


Ato deste domingo na cidade paraibana de Monteiro poderá ser o pontapé para a pré-candidatura do petista à presidência em 2018

Foto: Cadu Gomes/Divulgação
Foto: Cadu Gomes/Divulgação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já desembarcou no sertão da Paraíba, onde faz uma inauguração popular da Transposição do Rio São Francisco, principal legado de seu governo na região. Lula está acompanhado da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e do governador do estado Ricardo Coutinho (PSB). Uma multidão acompanha o petista no evento, realizado na tarde deste domingo. A primeira parada foi no Eixo Leste, no município de Monteiro. Oito caravanas de oito estados do Nordeste participam. Na tarde deste domingo (19), Lula e Dilma entraram nas águas.


O ato deste domingo na cidade paraibana de Monteiro poderá ser o pontapé para a pré-candidatura do petista à presidência em 2018. A agenda do líder máximo do PT contará com a presença de aliados, incluindo a ex-presidente Dilma Rousseff. Representantes pernambucanos da sigla, a exemplo do senador Humberto Costa, do presidente do partido no estado, Bruno Ribeiro, do ex-prefeito do Recife, João Paulo, entre outros, também estarão presentes. %u201CPara nós é muito importante que ele circule o país, porque é parte do que temos denunciado: no tempo em que ele era governo, houve um ciclo de mudanças, porque pessoas e regiões mais pobres foram incluídas no orçamento%u201D, afirmou Bruno.

Foto: Twitter/Reprodução
Foto: Twitter/Reprodução
Mas o fato é que Lula não goza do mesmo prestígio de outrora, apesar de liderar as pesquisas de intenção de voto. O desgaste da imagem do partido e do próprio político, devido aos desdobramentos da operação Lava-Jato e do impeachment de Dilma, podem atrapalhar os planos de voltar ao poder. %u201CEle está colocando o bloco na rua para ver a temperatura nas ruas e saber se verdadeiramente houve perda de densidade eleitoral. A intenção é saber a resposta social%u201D, analisou o cientista político da Universidade Católica de Pernambuco, Thales Castro. De acordo com ele, é comum os atores políticos fazerem essas movimentações com uma certa antecedência das eleições. %u201CInclusive, a pré-candidatura dele pode ser reconsiderada, já que não sabemos quais os impactos que a Lava-Jato vai causar nos próximos meses%u201D, ponderou.

18 de março de 2017

Silas Malafaia responde sobre a polêmica com o pastor Paulo Junior.

por Rô Moreira



Silas Malafaia fala para o seu público e todos os demais crentes sobre os ataques do pastor PJ, em seu programa nesse Sábado(18) na Band.

Ele não cita o nome do Paulo Junior, ele o trata como "colega." E cita de forma velada o nome do Caio Fábio, como espelho para o PJ ver, que assim como Caio Fabio se levantou contra pastores e caiu e vive no ostracismo, assim pode acontecer com o Paulo Junior.


Está chamando Paulo Junior de insensato e pergunta: quem é você pra dizer quem está certo ou errado no Evangelho?

Silas mandou o " colega" pastor PJ lavar sua boca, quando citar o Myles Munroe, Morris Cerullo, Mike Murdock.
Como sempre, ele defende sua turminha que só prega Auto-Ajuda e só Vitória.
Silas fala contra os cristãos que o julgam segundo a reta justiça(Biblia).Fala em tom de ameaça usando sua condição de clero espiritual como se não conhecêssemos a palavra de Deus.

Usa a Bíblia pra dizer que toda essa gente boa que ele citou (Myles Munroe, Morris Cerullo, Mike Murdock.), sua turma de neopentecostais está ao nosso favor, sendo assim não é contra nós.

É de lascar viu! Silas cita um pastor tradicional  dizendo que este pastor não fala contra os neopentecostais porque ele sabe que esses jejuam e expulsam demônios, e ele não faz isso.

Quem será esse pastor tradicional, hein?

E diz que o "colega" assim que ele trata o (pastor) esta correndo um risco muito sério de perder seu ministério e viver no ostracismo, porque quem se levanta contra ele, cai, como o Caio Fabio.

Mais uma vez Silas ameça os crentes, como se fosse o porta voz de Deus o "ungido". Silas ainda não entendeu que os crentes estão mudando e não querem mais seu tipo de literatura, e muito menos a do seu grupinho neopentecostal. Disse ele, que não aceita tudo dos neopentecostais, mas é claro, ele só aceita o que lhe interessa.

Vejo tudo isso, como medo do Silas. Medo de perder seus leitores que se embriagam com a literatura de Auto- Ajuda evangélica. 

O que Silas não sabe é que ninguém mais suporta esse tipo de literatura, e isso, causa prejuízos a ele e a muita gente. Acho que seja isso que está incomodando tanto o Silas.
E tem também o sucesso da Consciência Cristã que tem levado muitos irmãos a assistir uma aula Biblica com os melhores teólogos da atualidade e isso pode atrapalhar o (Congressos Fogo para o Brasil) de Silas Malafaia.

17 de março de 2017

Produtos químicos eram usados para 'maquiar' carnes vencidas, diz polícia


Esquema era chefiado por funcionários do Ministério da Agricultura, diz PF.
Grandes empresas e pequenos frigoríficos são alvos de operação




Alana Fonseca e Mariele MorskiDo G1 PR










Frigoríficos investigados na Operação Carne Fraca usavam produtos químicos para "maquiar" carne vencida, injetavam água para aumentar o peso dos produtos e, em alguns casos, foi constatada ainda falta de proteína na carne. Os detalhes foram passados pelo delegado da Polícia Federal Maurício Moscardi Grillo em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (17).  
“Eles usavam ácidos e outros produtos químicos para poder maquiar o aspecto físico do alimento. Usam determinados produtos cancerígenos em alguns casos para poder maquiar as características físicas do produto estragado, o cheiro", disse Moscardi.
A PF, no entanto, não detalhou ainda em quais empresas foram encontradas estas irregularidades.

Esquema
A operação apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.
Segundo a PF, a Carne Fraca é a maior operação já realizada pela corporação. São 1,1 mil policiais cumprindo 309 mandados – 27 de prisão preventida, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão. As ordens judiciais foram expedidas pela 14ª Vara da Justiça Federal de Curitiba e estão sendo cumpridas em São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás.
Em dois anos de investigação, detectou-se que funcionários de superintêndencias regionais de Paraná, Minas Gerais e Goiás recebiam propina para facilitar a produção de alimentos adulterados, emitindo certificados sanitários sem qualquer fiscalização efetiva. Alguns dos funcionários foram detidos na operação nesta manhã.
Foram investigadas grandes empresas do setor, como a BRF Brasil, que controla marcas como Sadia e Perdigão, e também a JBS, que detém Friboi, Seara, Swift, entre outras marcas. Também há envolvimento, segundo a PF, de frigoríficos menores, como Mastercarnes, Souza Ramos e Peccin, do Paraná, e Larissa, que tem unidades no Paraná e em São Paulo. O G1 tenta contato com as empresas citadas.
Operação Carne Fraca foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (17). (Foto: Divulgação/Polícia Federal)Operação Carne Fraca foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (17). (Foto: Divulgação/Polícia Federal)
Em nota, a JBS afirmou que houve ação da Carne Fraca em três unidades produtivas da companhia, sendo duas delas no Paraná e uma em Goiás. Na unidade da Lapa (PR), houve uma medida judicial expedida contra um médico veterinário, funcionário da JBS, cedido ao Ministério da Agricultura. A empresa negou qualquer adulteração em seus produtos. (veja íntegra no fim da reportagem).
A BRF disse que está colaborando com as autoridades para esclarecer os fatos e que não compactua com práticas ilícitas. Disse também que assegura a qualidade e a segurança de seus produtos e garantiu que não há nenhum risco para seus consumidores, seja no Brasil ou nos mais de 150 países em que atua.
Empresas alvo de busca e apreensão na operação Carne Fraca:
Big Frango Indústria e Com. de Alimentos Ltda. 
BRF - Brasil Foods S.A.
Dagranja Agroindustrial Ltda./Dagranja S/A Agroindustrial
E.H. Constantino
Frango a Gosto
Frigobeto Frigoríficos e Comércio de Alimentos Ltda.
Frigomax- Frigorífico e Comércio de Carnes Ltda. 
Frigorífico 3D
Frigorífico Argus Ltda. 
Frigorífico Larissa Ltda.
Frigorífico Oregon S.A.
Frigorífico Rainha da Paz
Frigorífico Souza Ramos Ltda.
JBS S/A
Mastercarnes
Novilho Nobre Indústria e Comércio de Carnes Ltda. 
Peccin Agroindustrial Ltda./Italli Alimentos
Primor Beef - JJZ Alimentos S.A.
Seara Alimentos Ltda.
Unifrangos Agroindustrial S.A./Companhia Internacional de Logística
Breyer e Cia Ltda.
Fábrica de Farinha de Carne Castro Ltda. EPP
A Central de Carnes Paranaense, dona das marcas Master Carnes, Souza Ramos e Novilho Nobre, esclareceu em nota que recebeu a visita dos policiais nesta sexta, mas que nenhum de seus funcionários foi detido. A empresa disse que colabora com a investigação, que classifica como "de suma importância para uma concorrência leal do mercado". "É importante que se desvincule a ideia de que todas as empresas investigadas pela polícia de fato adulteram e/ou burlam a lei", ressaltou.
A E. H. Constantino informou que está colaborando com as investigações e, questionada, declarou não ter ligação alguma com os grupos JBS e BRF.
Escutas
Gravações telefônicas apontam que frigoríficos vendiam carne vencida tanto no mercado interno, quanto para exportação.
Segundo as investigações, o esquema no Paraná era comandado pelo ex-superintendente regional do ministério, Daniel Gonçalves Filho, e pela chefe do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), Maria do Rocio Nascimento, que trabalham em Curitiba. A reportagem tenta contato com os citados pela PF.
Dinheiro foi apreendido com Gil Bueno, superintendente regional do Mapa (Foto: Arquivo Pessoal)Dinheiro foi apreendido com Gil Bueno, superintendente regional do Mapa (Foto: Arquivo Pessoal)
Na casa do atual superintendente regional do Ministério da Agricultura, Gil Bueno, a polícia apreendeu R$ 65 mil nesta manhã. Os três são alvos de prisão preventiva.
Em sua decisão, o juiz federal Marcos Josegrei da Silva, da 14ª Vara Federal de Curitiba, diz que o envolvimento do Ministério da Agricultura é "estarrecedor". "(O ministério) foi tomado de assalto – em ambos os sentidos da palavra – por um grupo de indivíduos que traem reiteramente a obrigação de efetivamente servir à coletividade", afirmou.
De acordo com informações da PF, a denúncia partiu de um fiscal não aceitou ser transferido de cidade após denunciar Maria do Rocio ao sindicato por assédio moral. Ele se queixou de remoções de funcionário que seriam feitas para atender aos interesses das empresas.
Em Goiás, a PF afirma que o esquema operava de forma parecida com o paranaense e era liderado pelo chefe do Dipoa, Dinis Lourenço da Silva. O G1 entrou em contato com o ministério e aguarda retorno.
VÍDEO: Ouça o áudio em que sócio de frigorífico fala sobre uso de carnes proibidas
Ministro citado
O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, apareceu na investigação da Operação Carne Fraca. Em uma conversa grampeada quando ele ainda era deputado federal, Serraglio chama o ex-superintendente regional no Paraná do Ministério da Agricultura, Daniel Gonçalves Filho, de “grande chefe”.
"Sentimos que não havia crime por parte do tal ministro. Porém, por cautela, foi necessário fazer esse informe para não sermos questionados", disse delegado da PF Maurício Moscardi Grillo. Segundo ele, o que for referente ao ministro será encaminhado à Procuradoria-Geral da República.
Em evento no Rio Grande do Sul, Serraglio comentou o conteúdo da conversa gravada. "Esse frigorífico fica a uns 50 km da minha cidade. É um frigorífico que um dia recebeu, eu tô sabendo pelo o que eu li na imprensa, porque telefonemas a gente dá e muitos, eu recebi um comunicador dizendo que iam fechar o frigorifico", afirmou.
"Aí eu liguei. Pra quem? A expressão que a imprensa está explorando de alguma maneira porque eu chamei de 'chefe'. Ele é o chefe. Aquele cidadão com quem eu falei é superintendente do Paraná da agricultura. Eu liguei pra ele para saber 'o que está acontecendo em relação ao frigorífico?'”
Veja uma transcrição da conversa do ministro com Daniel Gonçalves:
Osmar Serraglio: grande chefe, tudo bom?
Daniel: tudo bom
Osmar: viu, tá tendo um problema lá em Iporã, cê tá sabendo?
Daniel: não
Osmar: o cara lá, que... o cara que tá fiscalizando lá... apavorou o Paulo lá, disse que hoje vai fechar aquele frigorífico... botô a boca... deixou o Paulo apavorado! Mas pra fechar tem o rito, num tem? Sei lá. Como que funciona um negócio desse?
Daniel: deixa eu ver o que acontecendo... tomar pé da situação lá tá... falo com o senhor.
Segundo a PF, a investigação apontou que parte da propina recebida pelas superintendências ia para o PMDB e o PP. O PMDB informou que desconhece o teor da investigação, e o PP ainda não se manifestou.
Viaturas da Polícia Federal no Ministério da Agricultura (Foto: Vitor Matos/G1)Viaturas da Polícia Federal no Ministério da Agricultura (Foto: Vitor Matos/G1)
Adulterações em produtos
Gravações telefônicas obtidas pela PF apontam que vários frigoríficos do país vendiam carne com data de validade vencida tanto no mercado interno, quanto para exportação. Entre produtos químicos e carne fora da validade, há casos ainda mais "curiosos", como a inserção de papelão em lotes de frango e carne de cabeça de porco em linguiça.
No Paraná. o esquema tinha ramificações em Londrina, no norte do estado, e em Foz do Iguaçu, na região oeste. No Rio Grande do Sul, são cumpridos mandados nas cidades de Gramado e Bento Gonçalves, na serra gaúcha, segundo apurou o G1 RS.
Em São Paulo, são 18 mandados no total, sendo 8 de busca e apreensão, 3 de prisão preventiva, 1 de prisão temporária e 6 de condução coercitiva, todos na capital, de acordo com informações do G1 SP.
Carne Fraca: mandados sendo cumpridos em Londrina (Foto: Dionisio Mathias/RPC)Carne Fraca: mandados sendo cumpridos em Londrina (Foto: Dionisio Mathias/RPC)
Íntegra da nota da JBS:
Em relação a operação realizada pela Polícia Federal na manhã de hoje, a JBS esclarece que não há nenhuma medida judicial contra os seus executivos. A empresa informa ainda que sua sede não foi alvo dessa operação.
A ação deflagrada hoje em diversas empresas localizadas em várias regiões do país, ocorreu também em três unidades produtivas da Companhia, sendo duas delas no Paraná e uma em Goiás. Na unidade da Lapa (PR) houve uma medida judicial expedida contra um médico veterinário, funcionário da Companhia, cedido ao Ministério da Agricultura.
A JBS e suas subsidiárias atuam em absoluto cumprimento de todas as normas regulatórias em relação à produção e a comercialização de alimentos no país e no exterior e apoia as ações que visam punir o descumprimento de tais normas.
A JBS no Brasil e no mundo adota rigorosos padrões de qualidade, com sistemas, processos e controles que garantem a segurança alimentar e a qualidade de seus produtos. A companhia destaca ainda que possui diversas certificações emitidas por reconhecidas entidades em todo o mundo que comprovam as boas práticas adotadas na fabricação de seus produtos. 
A Companhia repudia veementemente qualquer adoção de práticas relacionadas à adulteração de produtos – seja na produção e/ou  comercialização -  e se mantém à disposição das autoridades com o melhor interesse em contribuir com o esclarecimento dos fatos.

No caso da falta de proteína, o delegado explicou que havia substituição. "Foi trocada por fécula de mandioca ou proteína da soja, que é muito mais barata, mais fácil de substituir."
O delegado afirmou que nem mesmo os fiscais envolvidos, que costumavam ganhar carnes dos proprietários como benefício, estavam aguentando a má qualidade dos produtos. "Eles comentavam entre si que não estava mais dando para receber", disse.

Quer saber mais notícias do estado? Acesse G1 Paraná.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...